porsinal  
ArtigosCategoriasArtigos Científicos
Vnia de Aquino Albres Santiago
Vnia de Aquino Albres Santiago
Tradutora/Intrprete de Libras-Portugus
Atuao de intrpretes de lngua de sinais na ps-graduao lato sensu: Estratgias adotadas no processo dialgico
0
Publicado em 2013
Dissertao de Mestrado - Programa de Ps-Graduao em Educao Especial. So Carlos: UFSCar
Vnia de Aquino Albres Santiago
  Artigo dispon�vel em vers�o PDF para utilizadores registados
Resumo

O desafio da inclusão de pessoas com deficiência nos diferentes segmentos das relações sociais não é algo novo, trata-se sem dúvida de um processo complexo. Na educação formal, o estudante surdo é também atendido em suas especificidades linguísticas por meio do serviço do Tradutor/Intérprete de Língua Brasileira de Sinais (TILS), nesta dissertação chamado de Intérprete Educacional (IE). Assim, sob os pressupostos da perspectiva enunciativodiscursiva, o objetivo deste estudo foi identificar estratégias adotadas na interpretação do português para a Libras no contexto da pós-graduação lato sensu e influências sofridas pelo intérprete em sua atividade de interpretação. A metodologia da pesquisa etnográfica participante, em que se baseia este trabalho, é uma modalidade que possibilita formas de interação entre o pesquisador e os sujeitos que abrem fontes de informação que nenhuma outra técnica permite. Portanto, os participantes deste estudo foram dois intérpretes de Libras (a autora pesquisadora e outro profissional convidado), que se revezavam na atividade de interpretação em sala de aula, um aluno surdo adulto, professores do referido curso e demais alunos ouvintes da sala de aula. A coleta de dados foi realizada por meio de vídeo gravação das interpretações das aulas, em sala de aula da universidade. As aulas analisadas tinham a temática "Eficiência Energética", ministrada em um curso de especialização em Sustentabilidade – no contexto da construção civil/arquitetura. A atividade do Intérprete Educacional, em especial no ensino superior e na pós-graduação, constitui uma difícil tarefa, a começar pelos conhecimentos técnicos, conceituais, sócio-acadêmicos, de mundo e relacionados à temática do curso a que se destina a interpretação, e também das exigências quanto a conhecimentos linguísticos. Nesse ponto chegamos à conclusão de que a compreensão ativo-dialógica e a interação, tramam o saber do IE e o saber do aluno, sujeitos ativos na cadeia produtiva dos sentidos, com o objetivo claro de favorecer a aprendizagem do aluno.

Para aceder ao artigo completo, descarregue o PDF.

Coment�rios