porsinal  
ArtigosCategoriasArtigos Científicos
Ronice Mller de Quadros
Ronice Mller de Quadros
Professora e Investigadora
Phrase Structure of Brasilian Sign Language
0
Publicado em 1999
Pontifcia Universidade Catlica do Rio Grande do Sul - Faculdade de Letras - Curso de Ps-Graduao em Letras
Ronice Mller de Quadros
  Artigo disponvel em verso PDF para utilizadores registados
Resumo

Este trabalho apresenta uma viso geral da estrutura sinttica da lngua brasileira de sinais (LSB), com o objetivo de delinear a arquitetura da estrutura frasal desta lngua. Para isso, ns analisamos os fatos que envolvem desde a ordem das palavras s operaes sintticas envolvendo posies A e A. Ns iniciamos a investigao com a ordem das palavras analisando a interao de elementos sintticos, tais como, advrbios, modais, auxiliares e negao. Atravs da interao destes elementos na orao, ns determinamos a posio sinttica das categorias argumentais na LSB. Alm disso, analisamos os fatos relacionados aparente flexibilidade observada na ordem das palavras nesta lngua. Conclumos que, apesar de observamos mudanas na ordem das palavras, esta lngua apresenta uma ordem bsica SVO, o que leva-nos a assumir que tal lngua categorizada como lngua de ncleo inicial. Assim, propomos uma representao da estrutura frasal para a LSB como resultante de um conjunto de projees de Tempo e Concordncia no esprito de Pollock (1989), mais tarde refinada por Chomsky (1991) e Chomsky e Lasnik (1993). Apesar dessa representao ter sido delineada, observamos a existncia de uma assimetria entre duas classes verbais que parecem gerar diferentes representaes da estrutura frasal na LSB. Portanto, torna-se necessrio rever a representao da estrutura proposta considerando um leque maior de construes que envolvem tal assimetria. Essa assimetria foi observada entre duas classes verbais na LSB: non-plain e plain verbs, ou seja, verbos com e sem concordncia, respectivamente. Alm da assimetria observada no nvel morfolgico, tambm identificou-se diferenas na estrutura sinttica. Assim, determinou-se uma representao dupla da estrutura frasal da LSB com a diviso de I(nflectional) P(hrase) para sentenas com verbos com concordncia (non-plain verbs) e simples projeo de IP para verbos sem concordncia (plain verbs). Esta proposta resulta da combinao entre o tratamento dado por Lasnik (1995) assimetria da morfologia verbal para captar a distribuio morfolgica dos verbos em diferentes lnguas e o parmetro para concordncia proposto por Bobaljik (1995) que acomoda diferenas entre a manifestao de concordncia entre as lnguas. A representao dupla resulta da interao de traos que, quando inseridos na derivao, derivam estruturas frasais especficas. Estes traos so intrnsecos dos verbos non-plain, verbos que projetam a categoria de concordncia na estrutura frasal. Estendemos tais anlises a outras lnguas observando alguns fatos empricos. Conclumos o quadro das estruturas frasais na LSB observando construes interrogativas, topicalizaes e construes focalizadas. Tais descries oferecem subsdios para determinao da representao completa da estrutura frasal da LSB, incluindo as categorias funcionais projetadas relacionadas s posies no argumentais. Alm disso, esta representao oferece suporte adicional para estrutura bsica SVO, uma vez que todas as mudanas da ordem das palavras resultam de operaes relacionadas checagem de traos. As estruturas frasais delineadas para a LSB observam os princpios da estrutura frasal pura (Chomsky, 1995b). Neste sentido, h vantagens na nossa proposta que podem ser revistas na lngua de sinais americana (ASL). Por exemplo, a posio de CP na ASL ainda motivo para debates entre os pesquisadores americanos. Neidle, Kegl, Bahan, Aarons e MacLaughlin (1997) e Petronio and Lillo-Martin (1997) apresentam diferentes anlises da estrutura frasal desta lngua que no so compatveis com os princpios da estrutura frasal pura, uma vez que ambas anlises apresentam projees hbridas de ncleos incluindo posies finais e iniciais. Alm disso, a proposta baseada na assimetria dos verbos na LSB, talvez possa ser analisada na ASL de forma similar, apesar das diferenas observadas entre tais lnguas que complicam tal proposta para a ASL. Nesta lngua, no h a distribuio da negao lexical entre plain e non-plain verbs, uma forte assimetria observada na LSB. No entanto, outras assimetrias entre tais classes verbais so observadas da mesma forma, o que gera polmica entre as anlises propostas para a estrutura desta lngua. Talvez nossas anlises possam apresentar alguma luz para tais discusses. O carter ambicioso do presente trabalho apresenta, pelo menos, duas razes: primeiro, a quase no existncia de descries da LSB e, segundo, a necessidade de ter uma representao completa da estrutura frasal desta lngua para abrir portas para futuras investigaes.

Para aceder ao artigo completo, descarregue o PDF.

Comentrios