O JavaScript está desabilitado no seu browser !
Por favor habilite o JavaScript ou actualize-se com um browser capaz de o usar.
O Javascript precisa de estar activado para ver o site correctamente.
porsinal  
Notícias
Sábado, 22 de Abril de 2017 às 01:03:00
por porsinal   
0 comentário(s)
Celebrações da visita do Papa interpretadas em língua gestual portuguesa
Todas as celebrações integradas na primeira peregrinação internacional aniversária do Centenário das Aparições em Fátima vão ter interpretação em língua gestual portuguesa.
Reportagens
Quarta-feira, 15 de Março de 2017 às 18:47:05
por porsinal   
0 comentário(s)
Pais surdos comunicam com filhos por meio da música
Sentimentos e vibrações de ondas sonoras misturam-se numa forma de comunicação que une alunos surdos aos seus pais e filhos.
Entrevistas
Quinta-feira, 09 de Março de 2017 às 18:00:45
por porsinal   
0 comentário(s)
Viva a família surda!
A mãe da Fiorella é psicóloga e professora da Universidade Federal de Pelotas Francielle Cantarelli. Ela conta que, assim como a menina, ela e o marido Fabiano também nasceram surdos. Na época, entretanto, o conhecimento sobre o tema era restrito, e ambos tiveram contato com a língua gestual muito tarde: ela com 12 anos e ele com 7 anos de idade.
Especialistas

Filmes em Destaque
  • Palabras de Caramelo

    Juan Antonio Moreno Amador
  • Hush: A Morte Ouve

    Mike Flanagan
  • Dawn of the Deaf

    Rob Savage
  • Livros em Destaque
    Artigos de Opniião
  • por Amílcar José Morais
    Sexta-feira, 19 de Agosto de 2016
    “Cultura” – Comunidade Surda: Etnicidade ou Variável?
    Gostaria de refletir e abrir um espaço para discussão sobre o seguinte: O conceito de etnicidade integra-se na cultura da Comunidade Surda ou não?
  • Compre aqui na plataforma porsinal o novo livro de Isabel Correia !
    Próximo Congresso

    De 04/05/2017 a 05/05/2017
    IX Jornadas das Língua Portuguesa: Língua e Literacia(s) no Século XXI

    Dada a relevância deste tema, pretende-se, com as 9.as Jornadas da Língua Portuguesa, apresentar, discutir e divulgar o conhecimento que se vem produzindo na área temática da língua portuguesa e do desenvolvimento da(s) literacia(s) ou em áreas que com estas se relacionam. Parece ser importante uma reflexão em torno dos contributos que a sociedade, de uma forma geral, e a academia, de forma particular, podem dar para que a futura geração venha a ser constituída não apenas por indivíduos letrados e formados academicamente, mas também por indivíduos solucionadores (Weil, 2014) dos inúmeros problemas com que as sociedades atuais se deparam. Para tal, é necessário que a leitura, a escrita, o trabalho colaborativo, a criatividade, o pensamento crítico, a (re)solução de problemas, a utilização das tecnologias de informação e comunicação, a pesquisa, a produção e comunicação de trabalhos científicos seja uma prática regular nas diferentes instituições de ensino, em contexto de sala de aula, no trabalho dos professores e no dos estudantes.

    Neste sentido, estas 9as Jornadas da Língua Portuguesa, organizadas pela rede do Camões, Instituto da Cooperação e da Língua em Moçambique, em parceria com a Universidade Eduardo Mondlane e a Universidade Pedagógica, pretendem abrir um espaço de partilha e de divulgação de trabalhos de investigação, produzidos na área do ensino e da aprendizagem da língua portuguesa e do desenvolvimento da(s) literacia(s).

    Este encontro académico tem como objetivo geral desenvolver uma cultura de investigação em torno do ensino e da aprendizagem da língua portuguesa que desenvolva competências de literacia dos estudantes. Constituem objetivos específicos destas Jornadas: (i) promover a investigação sobre as áreas do ensino da língua e das literaturas em língua portuguesa; (ii) divulgar boas práticas de ensino da língua, da linguística e da literatura, com resultados concretos no desenvolvimento das competências de literacia dos estudantes; e (iii) apresentar trabalhos sobre a utilização das tecnologias aplicadas ao desenvolvimento das literacias em língua portuguesa. Assim, e de forma a acedermos aos percursos de construção de conhecimento, desenvolvidos ou em curso, nas áreas assinaladas, desafiam-se os professores, investigadores, gestores educacionais, especialistas e formadores que estudam a língua portuguesa ou que com ela trabalham a contribuírem para esta partilha.