porsinal  
Cronologia da Surdez, da cultura surda e da Língua Gestual no mundo
  • 368

    O filósofo grego Sócrates perguntou ao seu discípulo Hermógenes: “Suponha que nós não tenhamos voz ou língua, e queiramos indicar objetos um ao outro. Não deveríamos nós, como os surdos-mudos, fazer sinais com as mãos, a cabeça e o resto do corpo?” Hermógenes respondeu: “Como poderia ser de outra maneira, Sócrates?” (Cratylus de Plato, discípulo e cronista, 368 a.C.).

    Sócrates
  • 534

    O Codex Justinianus, do Imperador Bizantino Justiniano I (527-565), que reúne o Direito Romano e vai influenciar as novas nações latinas, nega os direitos civis aos surdos congénitos, como o casamento e a propriedade.

    Imperador Justiniano I
  • 1500

    Girolamo Cardano (1501-1576) era médico filósofo que reconhecia a habilidade do surdo para a razão, afirmava que “...a surdez e mudez não é o impedimento para aprender e o meio melhor é através da escrita... e é um crime não instruir um surdo-mudo.” Ele utilizava a língua de sinais e escrita com os surdos.

    Girolamo Cardano
  • 1520

    Pedro Ponce de Leon, um monge espanhol, desenvolveu um dos primeiros alfabetos manuais ao trabalhar com alunos surdos, que permitia ao estudante que aprendesse a soletrar (letra por letra) toda a palavra. Os pesquisadores modernos analisam se este alfabeto foi baseado, integralmente ou em parte, em simples gestos com as duas mãos. O alfabeto unimanual publicado por Juan de Pablo Bonet em 1620, foi distinto do alfabeto bimanual usado por Ponce de León.

    Pedro Ponce de Leon
  • 1550

    O licenciado Lasso escreveu o "Tratado Legal sobre los mudos", onde defendia a capacidade civil dos surdos e rebateu argumentos de leis discriminatórias contra eles. Mas pode-se encontrar na obra de juristas mais antigos, como os italianos Baldo de Ubaldi (1327-1400) e Bártolo de Sassoferrato (1313-1349), algumas doutrinas jurídicas em que reconhecem a perspicácia intelectual de determinados surdos de sua época, que podiam fazer leitura labial e comunicar-se por escrito ou por meio de gestos

    Tratado Legal sobre los mudos
  • 1561

    Em Veneza, Gabriele Fallopio, nas Observationes anatomicae, faz a primeira descrição clara da membrana timpânica e descobre a cóclea.

    Gabriele Fallopio
  • 1563

    Bartolomeo Eustachius descobre a trompa com o seu nome e a sua ligação ao ouvido interno, que descreve na Epistola de auditus organis.

    Em Vila Real parece ter vivido uma “mestra de moucos”, que também se dedicava à medicina.

    Bartolomeo Eustachius
  • 1575

    Lasso, jurista espanhol, concluiu que os surdos que aprendem a falar deixam de ser mudos e devem ter direitos hereditários.

  • 1613

    Fray de Melchor Yebra, de Madrid, escreveu um livro chamado “Refugium Infirmorum” ,que descreve e ilustra o alfabeto manual da época.

    Refugium Infirmorum
  • 1615

    Manuel Ramirez de Carrion foi um inventor da terapia da fala para as pessoas surdas. Ensinou Marquês de Priego em Montilla, Espanha.

  • 1620

    Juan Pablo Bonet (1579-1633), que também se ocupou da educação de surdos da corte espanhola, publicou "Reducción de las letras y arte para enseñar a hablar a los mudos". Reclamando embora a única autoria da sua arte, é possível que o seu trabalho tenha sido inspirado em Ponce de León e também em Ramirez de Carrión (1579-1652). Sendo considerado um dos mais antigos defensores da metodologia oralista, iniciava o processo pela aprendizagem das letras do alfabeto manual, passando ao treino auditivo, à pronúncia dos sons das letras, depois as sílabas sem sentido, as palavras concretas e as abstractas, para terminar com as estruturas gramaticais.

    Juan Pablo Bonet
  • 1644

    Em Inglaterra, o médico John Bulwer (1614-1684) publica Chironomia, or the Art of Manuall Rhetorique, onde descreve centenas de gestos e defende que a linguagem da mão é a única que é natural para todos os homens e especialmente os surdos. Quatro anos depois, escreve o interessante Philocophus: or, The Deafe and Dumbe Mans Friend, onde fala sobre as possibilidades de o homem surdo se exprimir por meio de gestos, bem como o porquê de os filhos dos surdos não serem sempre surdos.

    John Bulwer
  • 1680

    No mesmo país, George Dalgarno (1628-1687), filólogo e professor em Oxford, publica "The Deaf and Dumb Man’s Tutor", com muitas teorias para ensinar a linguagem aos surdos. O alfabeto manual parece-lhe o mais prático e aconselha as mães a nomear um objecto apontando-o e soletrando-o com os dedos.

    The Deaf and Dumb Man’s Tutor
  • 1700

    Johann Conrad Amman (1698-1774), também médico, publica A Dissertation Speech. Interessa-se pelo ensino de surdos e descobre que eles podem sentir as vibrações da voz e colocalhes as mãos na garganta enquanto ensina. E usa espelhos no treino da fala, que pretende clara e bem controlada.

    Johann Conrad Amman
  • 1749

    George Louis de Buffon apresenta um relatório à Academia das Ciências sobre o método de ensino de Jacob Rodrigues Pereira (1715-1790). Este espanhol de nascimento e de ascendência portuguesa é geralmente considerado o primeiro professor de surdos em França. Surdo, segundo Seguin, fazia jurar segredo aos alunos sobre os seus métodos. Introduziu o alfabeto gestual espanhol e o ensino da leitura. Baseava-se numa orientação natural do desenvolvimento da linguagem, treinando o ouvido dos que tinham audição residual e recorrendo a exercícios para melhorar a observação, a leitura labial e o tacto. O seu trabalho haveria de inspirar o estudo de Itard sobre o selvagem de Aveyron (1801) e Seguin, no desenvolvimento do método fisiológico para a educação dos atrasados mentais.

    George Louis de Buffon
  • 1760

    Thomas Braidwood (1715-1806) abre uma escola em Edimburgo, baseada numa metodologia de base oral e gestual. Manteve os seus métodos em segredo familiar, mas parece que combinava um alfabeto bimanual com gestos, escrita e leitura.

    Thomas Braidwood
  • 1762

    O Abbe' de l'Épée cria uma Escola para Surdos em Paris, França. Desenvolveu o método para a língua gestual, que serviu como base para a língua de sinais americana e outras línguas de sinais mundiais.

    Escola para Surdos em Paris
  • 1776

    Charles Michel de l’Épée (1712-1789), conhecido como Abbé de l’Épée, publica Instruction de Sourds et Muets par la Voix des Signes Méthodiques. Já antes tinha aberto a primeira escola pública para surdos, em Paris. Tinha como objectivo que em França todos os surdos aprendessem a ler e a escrever. Considerava insuficiente a linguagem natural dos surdos, que tinha aprendido, e inventou os signes méthodiques, para integrar a gramática da língua francesa.

    Charles Michel de l’Épée
  • 1778

    Por esta altura, Samuel Heinike (1729-1790) dirige em Leipzig a primeira escola de ensino exclusivamente oral para surdos na Alemanha, rejeitando todos os outros métodos que qualificava de inúteis e fraudulentos. Os dois envolveram-se numa polémica epistolar sobre os respectivos métodos de ensino, que ficaram conhecidos como método francês e método alemão.

    Em França, Ernaud (1740-1800) manifesta-se contra o uso do alfabeto manual, que impedia a leitura labial, estragava a articulação, paralisava a actividade orgânica necessária à fala e era inútil à sociedade.

    Samuel Heinike
  • 1784

    Abba Silvestri abre a primeira escola italiana para surdos, em Roma.

    Abba Silvestri
  • 1789

    O Abade Charles Michel de L’Epée morre. Na ocasião de sua morte, ele já tinha fundado 21 escolas para surdos na França e na Europa.

    Charles Michel de L’Epée
  • 1790

    Roch Ambroise Sicard (1742-1822) sucede a L’Épée no novo Instituto Nacional de Surdos-Mudos de Paris. Simplifica o método daquele em benefício do significado no contexto concreto em que a expressão se produzia. No instituto são agora mais os professores surdos do que os ouvintes.

    Roch Ambroise Sicard
  • 1800

    Alessandro Volta (1745-1827), físico, inventa a pilha electrolítica neste ano. Num dos seus relatos afirma ter experimentado ligar uma bateria a duas varinhas que introduziu nos ouvidos. Quando ligou o circuito sentiu um «abalo na cabeça» seguida do barulho de uma espessa sopa a ferver. Foi a primeira estimulação eléctrica do ouvido. Experiências realizadas nos 50 anos seguintes nunca ultrapassaram a sensação auditiva momentânea e a falta de qualidade tonal.

    Por esta data há notícia do estabelecimento, em Londres, de F. C. Rein & Son, a primeira manufactura de próteses auditivas, principalmente trompas e cornetas acústicas produzidas em pequenas quantidades.

    Primeira prótese auditiva
  • 1802

    Nos Estados Unidos, Jean Marc Itard, afirmava que o surdo podia ser treinado para ouvir palavras, ele foi o responsável pelo clássico trabalho com Victor, o “garoto selvagem” (o menino que foi encontrado vivendo junto com os lobos na floresta de Aveyron, no sul da França).

    Jean Marc Itard
  • 1807

    Peter A. Castberg funda a primeira escola para crianças surdas na Dinamarca, onde utiliza o método francês.

    Peter A. Castberg
  • 1808

    Jean-Marc Itard (1774-1838) apresenta na Sociedade da Faculdade de Medicina as memórias Sur les moyens de rendre la parole aux sourds-muets e Sur les moyens de rendre l’ouïe aux sourds-muets, acompanhado de seis alunos a quem havia ensinado a compreensão e produção da fala. O seu método parte do treino da detecção e discriminação dos sons, depois vogais e a seguir consoantes. Começa então a segunda parte de programa dedicada ao treino da fala, baseado em sílabas distintas que os alunos deviam aprender a ler e a escrever, acedendo depois às palavras e às frases simples.

    Jean-Marc Itard
  • 1815

    Thomas Hopkins Gallaudet (1787-1851), americano, vem à Europa para conhecer os diferentes métodos de educação dos surdos. Chegado a Londres, a família Braidwood recusa transmitir-lhe o seu método, mas assiste a uma conferência de Sicard, que acompanha no regresso a Paris e com quem estuda. No ano seguinte volta aos EUA acompanhado por Laurent Clerc, discípulo de Sicard e um dos primeiros professores surdos, para o auxiliar na criação de uma escola.

    Thomas Hopkins Gallaudet
  • 1817

    Gallaudet e Laurent Clerc abrem em Hartford, Connecticut, o Asylum for the Education and Instruction of Deaf and Dumb Persons (American School for the Deaf), primeira escola permanente nos EUA. Começam por ensinar uma mescla de LSF (langue des signes française), francês gestualizado e de inglês e acabaram por optar pela ASL (american sign language).

    Em França, Bébian, no Instituto de Paris considerou os gestos metódicos pouco satisfatórios para a compreensão das frases e adoptou a LSF na educação dos surdos.

    American School for the Deaf
  • 1821

    Itard publica um tratado onde reconsidera a sua posição anterior. É agora sua convicção de que a língua gestual é a língua natural dos surdos e pode proporcionar as mesmas vantagens da linguagem falada. E se tal não sucedia, devia-se a que os surdos viviam entre ouvintes e não na comunidade de surdos. Mas mantém que os surdos devem também aprender a expressar-se pela fala e a compreender a linguagem oral.

    Nesta data, Jean Batiste Graser (1766-1841), na Baviera, abre uma escola experimental em que os surdos estão integrados com ouvintes, mas beneficiam de apoio pedagógico especial. Em 1854 o sistema deixa de ser permitido, por, alegadamente, prejudicar as crianças ouvintes.

  • 1823

    Em Portugal, é fundado o Instituto de Surdos-Mudos e Cegos, e, por decisão do Rei D. João VI, chamado o especialista sueco Pär Aron Borg para o orientar. A abertura oficial da educação para surdos-mudos e cegos na Luz foi em 1 de Março de 1824, após portaria de 18 de Fevereiro de 1824 do Intendente Geral de Polícia, mais tarde publicada no Diário do Governo de 16 de Dezembro de 1847. Em primeiro lugar receberam-se os alunos vindos da Casa Pia (sendo 4 do sexo masculino e 8 do sexo feminino, todos eles pobres), com idades entre os seis e os catorze anos, todos surdos-mudos, com excepção de um menino cego. Pär Aron Borg teve um papel muito importante no ensino dos surdos em Portugal, que com ele aprenderam a comunicar através de um alfabeto manual e também da língua gestual de origem sueca. O método de ensino do Instituto de Estocolmo foi adaptado para o ensino em Portugal. O alfabeto manual inventado por Borg foi adoptado pela Suécia, Portugal e Finlândia.

    Pär Aron Borg
  • 1834

    O Instituto da Luz foi integrado na Casa Pia, criando-se a secção dos Surdos-Mudos, que, em decadência, encerra em 1860.

    Brasão da Casa Pia
  • 1836

    O médico Blanchet, director do Instituto Nacional de Surdos de Paris, propõe a educação conjunta de surdos e ouvintes e sugere que os institutos sejam reservados aos órfãos.

  • 1838

    Fundada pela Assembleia Geral da Virgínia em 1838, o Virginia School for the Deaf and the Blind abre portas em Staunton, VA, em 1839 e foi a primeira escola do mundo a integrar os alunos surdos e cegos

    Itard, agora médico do Instituto de Paris, retoma os trabalhos de Nicolas Deleau sobre tratamento de catacterismo da trompa de Eustáquio e obtém resultados apreciáveis de recuperação de audição com alguns alunos. Marca o início da recuperação cirúrgica da surdez do ouvido médio.

    Virginia School for the Deaf and the Blind
  • 1840

    Na Alemanha, Friedrich Moritz Hill (1805-1874) descreve uma aplicação dos princípios do método natural de Pestalozzi na educação de crianças surdas, que sintetiza deste modo: «o ensino da língua falada está em tudo».

    Friedrich Moritz Hill
  • 1848

    O ministério francês da educação aprova várias escolas integradas, que depois são encerradas por questões económicas.

    Ministério Francês da Educação
  • 1853

    William Wilde e Joseph Toynbee, britânicos, publicam importantes tratados que vêm conferir respeitabilidade clínica e científica à otologia, o primeiro na área da cirurgia e o segundo sobre a patologia do ouvido médio.

    William Wilde
  • 1854

    Rémi Valade (1809-1890), professor ouvinte do Instituto de Paris, escreve "Essai sur la Grammaire du Langage Naturel des Signes".

    Essai sur la Grammaire du Langage Naturel des Signes
  • 1855

    Duchenne de Boulogne experimenta a estimulação do ouvido com corrente alternada. Os resultados continuam a não ser satisfatórios, já que a sensação obtida se assemelhava «ao bater das asas de uma mosca entre a cortina e os vidros da janela».

    Eduardo Huet, como professor surdo, com experiência de mestrado e cursos em Paris, chega ao Brasil sob beneplácido do imperador D.Pedro II, com a intenção de abrir uma escola para pessoas surdas.

    Duchenne de Boulogne
  • 1856

    J. S. Brown publica "A Vocabulary of Mute Signs" e marca nos EUA o início de um estudo da língua gestual que só será retomado mais de cem anos depois.

    Em França, Pélisser, professor e poeta surdo publica a "Iconographie des Signes".

    Iconographie des Signes
  • 1857

    É fundada a primeira escola para surdos no Rio de Janeiro – Brasil, o “Imperial Instituto dos Surdos-Mudos”, hoje, “Instituto Nacional de Educação de Surdos”– INES, no dia 26 de setembro. O dia do surdo é comemorado no dia 26 de setembro, homenagem à inauguração da primeira escola de surdos do Brasil em 1857, o INES (Instituto Nacional de Educação de Surdos).

    O filho de Thomas Hopkins Gallaudet, Edward Miner Gallaudet, ajudou a iniciar a Columbia Institution for the Deaf and Blind, em Washington, DC, que mais tarde se tornou Gallaudet University. A Gallaudet University é a primeira instituição mundial de ensino superior para Surdos

    Em meados do século havia mais de cento e cinquenta escolas europeias e vinte e seis nos EUA que utilizavam a língua gestual nas aulas. Neste país, um terço dos professores de surdos eram surdos.

    Imperial Instituto dos Surdos-Mudos
  • 1867

    O abade Lambert, capelão do Instituto de Paris, publica um catecismo bilingue, com uma soberba iconografia gestual.

  • 1868

    Brenner estuda os efeitos da sensação auditiva produzida electricamente, fazendo variar a polaridade, a tensão e a intensidade do estímulo. Os seus resultados mostram que a audição é melhor com o estímulo que produz uma polaridade negativa no ouvido.

  • 1870

    Notícia de um liceu, em Lisboa, para surdos, dirigido pelo Pe. Pedro de Aguilar, onde o ensino era gratuito.

  • 1872

    Alexander Graham Bell (1847-1922) abre uma escola oralista para professores de surdos, em Boston. No ano seguinte regista a patente do telefone. Torna-se presidente da associação americana para impulsionar o ensino da fala aos surdos. O seu eugenismo parece não ter limites: propõe a eliminação das escolas residenciais, a proibição do magistério aos professores surdos e mesmo a do casamento entre surdos.

    Em Guimarães, Aguilar cria um instituto, onde ensina língua gestual e escrita, que fecha mais tarde por dificuldades financeiras.

    Alexander Graham Bell
  • 1873

    O Congresso Italiano de Professores de Surdos-mudos considera que os gestos só são necessários para a comunicação inicial com os alunos mas devem ser totalmente eliminados assim que a utilização da palavra o permita.

  • 1875

    Um ex-aluno do INES, Flausino José da Gama, aos 18 anos, publicou “Iconografia dos Signaes dos Surdos-Mudos”, o primeiro dicionário de língua de sinais no Brasil.

    Iconografia dos Signaes dos Surdos-Mudos
  • 1876

    É fundada a Rochester School for the Deaf, que viria a criar um método próprio, associando a dactilologia e a fala, tanto na linguagem compreensiva como expressiva.

    Rochester School for the Deaf
  • 1877

    O mesmo Aguilar abre novo instituto, desta vez no Porto. à sua morte passa a ser dirigido pelo sobrinho, Eliseu de Aguilar.

    É criado um Instituto de Surdos, pela Câmara Municipal de Lisboa para Surdos de ambos os sexos, onde o ensino é ministrado através da língua gestual e da fala.

  • 1878

    Em Paris, o I Congresso Internacional sobre a Instrução dos Surdos-Mudos aprova uma resolução considerando que só a instrução oral pode incorporar o surdo na sociedade e que o método articulatório, que inclui a leitura labial devia ser preferido a todos os outros.

  • 1880

    Surgiu o Congresso Internacional de Surdo-Mudez, em Milão – Itália, onde o método oral foi votado o mais adequado a ser adotado pelas escolas de surdos e a língua gestual foi proibida oficialmente alegando que a mesma destruía a capacidade da fala dos surdos, também argumentando que os surdos são “preguiçosos” para falar, preferindo a usar a língua de sinais. Na ocasião de votação, durante a assembléia geral realizada no congresso, todos os professores surdos foram proibidos de votar e excluídos. Dos 164 representantes presentes ouvintes, apenas 5 dos Estados Unidos votaram contra o oralismo puro. Estas recomendações foram aceites pelas delegações alemã, italiana, francesa, inglesa, sueca e belga. Só o grupo americano, liderado por Edward Miner Gallaudet (1837-1917), se opõe. Dos 255 participantes, só três eram surdos.O método oral torna-se indiscutível.

    Estátua de Edward Miner Gallaudet
  • 1887

    Em França, os professores surdos são passados à reforma.

    Eliseu Aguilar fecha a escola do Porto e abre o Instituto Municipal de Lisboa, que recebe alunos dos dois sexos em internato e semi-internato. Ensinava a fala e a língua gestual.

  • 1890

    William James, no American Annals of the Deaf, relata o estudo de duas pessoas surdas que, usando exclusivamente gestos, exprimiam conceitos abstractos e metafísicos.

    American Annals of the Deaf
  • 1893

    No Porto, o Instituto Araújo Porto adopta o método oral puro, também dito método intuitivo.

    Instituto Araújo Porto
  • 1894

    O National Deaf-Mute College, em Washington, passa a chamar-se Gallaudet College.

    National Deaf-Mute College
  • 1900

    No Congresso Internacional de Paris, mais conciliador, Edward M. Gallaudet, propõe que uma instrução oral inicial, proporcionada a todos, só fosse continuada com os que dela pudessem beneficiar. A sua proposta foi amplamente rejeitada. Os professores surdos tiveram que reunir-se em separado. O congresso proclamou de novo a superioridade da fala sobre os gestos e declarou a sua adesão ao Congresso de Milão.

    Edward M. Gallaudet
  • 1901

    Na clínica Politzer, em Viena, Ferdinand Alt inventa a prótese auditiva eléctrica, baseada na tecnologia do telefone.

    Prótese auditiva eléctrica
  • 1905

    O Instituto Municipal de Lisboa passa a fazer parte da Casa Pia. O provedor Costa Pinto introduz o método “intuitivo-oral”, após especialização de 2 alunos da Casa Pia (José Cruz Filipe e Eugénio Brito Vasconcelos no Instituto Nacional de Surdos de Paris).

    Jayme Arthur da Costa Pinto
  • 1910

    Os psicólogos Alfred Binet e Theodore Simon publicam um estudo sobre o valor do método oral onde afirmam que, no caso dos surdos, o pensamento se desenvolve antes da linguagem.

    Alfred Binet
  • 1911

    Expoente da escola alemã, na obra O método da pureza da oralidade, Johannes Vatter (1842-1916) não tem dúvidas: «só a estreita senda do método oral puro conduz a uma linguagem viável e adequada aos requisitos últimos da vida».

    Johannes Vatter
  • 1912

    É publicado o primeiro catálogo de aparelhos eléctricos para a surdez.

  • 1913

    Aurélio da Costa Ferreira, director da Casa Pia, organiza um curso de formação especializada para professores do ensino de deficientes auditivos, marcando uma tendência médico-pedagógica no ensino especial e oficializando o método oral em Portugal.

    Aurélio da Costa Ferreira
  • 1914

    Max Goldstein inicia o Central Institute for the Deaf e cria o método acústico, uma abordagem áudio-oral da educação das crianças surdas.

    Freiras franciscanas criam em Lisboa o Instituto da Imaculada Conceição, para meninas surdas.

    Max Goldstein
  • 1922

    Em Portugal, a secção dos Surdos-Mudos da Casa Pia passou a chamar-se Instituto Jacob Rodrigues Pereira.

    Instituto Jacob Rodrigues Pereira
  • 1923

    Lohlan e Krauz constroem um vibrador de condução óssea.

  • 1925

    Um engenheiro da companhia inglesa de telefones descobre que a transposição das frequências agudas na zona dos graves melhora a inteligibilidade da palavra.

  • 1930

    Ernest Glen Wever e Charles W. Bray demonstram que as respostas eléctricas registadas na proximidade do nervo auditivo de um gato eram similares em frequência e amplitude aos sons a que o ouvido tinha sido exposto.

    Ernest Glen Wever
  • 1932

    Hugo Lieber aperfeiçoa o vibrador mastoideu, atingindo uma qualidade de reprodução que impõe o seu sistema até ao fim da 2a Guerra.

    Hugo Lieber
  • 1933

    Meister ensaia pela primeira vez aparelhos amplificadores para facilitar a desmutização.

  • 1934

    Um grupo de surdos cria no Porto o "Grupo Recreativo de Surdos-Mudos do Porto".

    Grupo Recreativo de Surdos-Mudos do Porto
  • 1935

    Aristide Malherbe, R. Vilenski e Noel Herman, no Instituto Nacional dos Surdos de Paris, propõem o uso de aparelhos individuais pelos jovens surdos.

    Instituto Nacional dos Surdos de Paris
  • 1936

    Os investigadores russos G. V. Gersuni e A. A. Volokhov experimentam os efeitos da estimulação eléctrica da audição. Em "On the Effect of Alternating Currents on the Cochlea" relatam que a audição podia ser produzida mesmo apósa remoção cirúrgica do tímpano e dos ossículos do ouvido médio, pelo que concluem ser a cóclea o lugar da estimulação, embora ignorem os mecanismos envolvidos.

    É criado em Lisboa o Club Os Mudos. É muito provável que se conversasse por lá.

    On the Effect of Alternating Currents on the Cochlea
  • 1941

    Rudolf Pintner, Jon Eisenson e Mildred Bacon Stanton fazem a revisão da informação disponível sobre a inteligência das pessoas surdas. Em "The Psychology of the Physically Handicapped" concluem que, apesar de alguns resultados contraditórios, as crianças surdas têm uma inteligência inferior.

    The Psychology of the Physically Handicapped
  • 1945

    Até esta data a amplificação obtida era pouco eficaz nos casos de surdez severa e profunda. As necessidades da guerra trouxeram amplificadores electrónicos menores, mais fiéis e seguros.

    A Beltone desenvolve uma prótese auditiva que pesa 550 gramas.

    Prótese auditiva Beltone
  • 1947

    O Instituto Araújo Porto passa a ser dirigido pelas freiras franciscanas e exclusivamente dedicado à educação de meninas.

    Instituto Araújo Porto
  • 1950

    Durante uma operação neurocirúrgica, Lundberg estimula directamente o nervo auditivo de um paciente que, todavia, não escutou senão ruído.

    Operação neurocirúrgica de Lundberg
  • 1951

    É fundada a Federação Mundial de Surdos (World Federation of the Deaf) em Roma.

    Federação Mundial de Surdos
  • 1952

    O professor Juan Manuel Tato, da Universidade de Buenos Aires, descobre que deslocando as frequências uma oitava para os graves, alguns surdos ouvem melhor do que com o registo normal da palavra.

    Diversas companhias colocam no mercado próteses retroauriculares (BTE), possíveis desde a criação do transístor.

    Juan Manuel Tato
  • 1953

    Petar Guberina cria em Zagreb o método verbo-tonal ou SUVAG, de reabilitação áudio-oral.

    Os estudos de H. Myklbust levam-no a atribuir uma natureza concreta à inteligência das pessoas surdas, considerando que a surdez restringe o aluno surdo ao mundo dos objectos concretos e das coisas.

    São fabricadas as primeiras próteses a transístores e são aplicados à amplificação sistemas de transposição e compensação de frequências.

    Petar Guberina
  • 1954

    É fundado o Grupo Desportivo de Surdos-Mudos de Lisboa.

  • 1955

    Aparecem novos modelos de prótese auditiva, colocados num molde inserido na orelha, ligeiramente salientes (ATE).

    O Professor Antonino Amaral que se fora especializar na Universidade de Manchester, regressa a Lisboa, passando a dirigir o Instituto Jacob Rodrigues Pereira. Organizam-se dois cursos de especialização, tendo por base o método oral puro.

    Prótese auditiva
  • 1956

    Amílcar Castelo apresenta o primeiro trabalho, em Portugal, de avaliação da inteligência da criança surda. Os resultados do teste do labirinto de Rey apresentam 50% dos casos abaixo do limiar normal e as matrizes de Raven atribuem deficiência mental a 60% . A causa estaria na perda ou atraso da linguagem, deficit que implica a forma abstracta do pensamento para concluir que a criança surda não é deficiente mental e que os testes de performance são o meio mais adequado de avaliar a inteligência do surdo.

    Exemplo de uma Matriz de Raven
  • 1957

    Djourno e Eyries são pioneiros da cirurgia correctiva da surdez neurossensorial. A colocação de eléctrodos no nervo auditivo durante uma operação permitiu ao paciente distinguir sons de diferentes tonalidades e palavras como papa, maman, allo. Os seus resultados pareciam mostrar que o nervo auditivo não podia ser estimulado com frequências superiores a 1 KHz, essenciais para a compreensão do discurso.

    É criado o Colégio de São Francisco de Sales.

    Colégio de São Francisco de Sales
  • 1958

    Em Lisboa é fundada oficialmente a Associação Portuguesa de Surdos (APS), por despacho do Ministro da Saúde e Assistência.

    Em Manchester, o Congresso Internacional sobre o Moderno Tratamento Educativo da Surdez vem pôr fim ao longo monopólio do método oral puro na maior parte dos países europeus. E consagra a sua renovação, o método materno-reflexivo do holandês Van Uden.

    Associação Portuguesa de Surdos
  • 1959

    As prótese intra-canal (ITE) tornam- se possíveis com o fabrico de pilhas muito pequenas.

    Prótese intra-canal
  • 1960

    William Stokoe (1920-2000), director do laboratório de pesquisas linguísticas do Gallaudet College desenvolve o conceito de querema como equivalente gestual do fonema e publica Sign Language Structure. Com este trabalho inicia-se o reconhecimento da ASL como língua genuína com uma estrutura complexa que ultrapassa em muito uma imitação rudimentar do discurso oral, como quase todos pareciam acreditar.

    William Stokoe
  • 1961

    Nos EUA, o trabalho de Stephen Patrick Quigley, D. Robert Frisina, depois de comparar o rendimento de crianças surdas filhas de pais surdos e de pais ouvintes, encontrou resultados superiores em vocabulário e soletrar dactílico bem como em rendimento educativo nos primeiros, enquanto os segundos eram superiores na inteligibilidade da fala.

    D. Robert Frisina
  • 1964

    Robert Weitbrecht, surdo, cria o telefone de texto (TTY), um aparelho que permite aos surdos comunicar por escrito através de uma linha telefónica vulgar.

    O Paget-Gorman Sign System é utilizado pela primeira vez numa experiência de educação de surdos adultos. Trata-se de um sistema gestual artificial que respeita todo o sistema gramatical do inglês. Mais tarde foi usado com crianças surdas, deficientes mentais e motoras.

    A Zenith fabrica e comercializa a primeira prótese com um circuito integrado.

    Doyle relata a inserção de um feixe de quatro eléctrodos na cóclea de um paciente com surdez neurossensorial total. Os resultados foram considerados satisfatórios, o paciente conseguia repetir frases.

    Furth publica Thinking Without Language, onde afirma que os surdos podem compreender e aplicar conceitos tão logicamente como as pessoas ouvintes. Os resultados inferiores em certas provas cognitivas devem-se tanto à falta de experiência do mundo como das próprias condições dessas provas que favorecem um background de domínio da linguagem oral.

    É criado o Instituto de Surdos de Bencanta (Coimbra).

    Telefone de texto (TTY)
  • 1965

    Surge o Cued-Speech ou Palavra Complementada, técnica criada por R. Orin Cornett, então vice-presidente do então Gallaudet College (agora Gallaudet University). É um sistema de apoio à leitura lábio-facial que elimina as confusões e pretende tornar totalmente inteligível o discurso falado. Os gestos associados são totalmente desprovidos de significado e destinam-se a esclarecer a informação presente nos lábios, o que faz do CS um sistema oral.

    Downs, Starrit e Squires, nos EUA, são os primeiros a propor e realizar o teste acústico neonatal para despistagem da deficiência auditiva.

    A Direcção-Geral da Assistência integra os Estabelecimentos de Educação Especial e cria dois centros para assegurar o seu funcionamento; o COOMP, Centro de Observação e Acompanhamento Médico-Pedagógico, para seleccionar as crianças e o CFAP, Centro de Formação e Aperfeiçoamento de Pessoal, para a formação especializada do pessoal desses estabelecimentos.

    É criado o Instituto de Surdos do Funchal.

    R. Orin Cornett
  • 1966

    Em Portugal, o art.º 138º do Código Civil continua a dispor a interdição do exercício dos seus direitos a todos «aqueles que por motivo de anomalia psíquica, surdo-mudez e cegueira se mostrem incapazes de governar as suas pessoas e bens», que todavia só se exercerá no termo de sentença judicial. O interdito por surdo-mudez mantém plena capacidade matrimonial,testamentária e para perfilhar.

    Struckless e Birch concluem que a comunicação gestual precoce facilita o desenvolvimento linguístico das crianças surdas.

    Art.º 138º do Código Civil
  • 1967

    Roy Kay Holcomb introduz a expressão Total Communication como filosofia de comunicação, não propriamente um método. A Total Communication envolve diferentes modalidades comunicativas, oral, gestual, escrita, desenho, mímica, dependendo das diferentes necessidades das crianças e dos seus estádios particulares de desenvolvimento.

    Portman, Aran e Yoshie identificam o potencial de acção global do nervo coclear, a partir de um eléctrodo colocado no promontório, técnica que passa a permitir medições objectivas da audição em crianças com poucos meses de idade.

    Roy Kay Holcomb
  • 1968

    São criados o Instituto de Surdos de Ponta Delgada e o Instituto de Surdos do Porto (depois Instituto António Cândido).

    Instituto António Cândido
  • 1969

    A Wilco alemã patenteia e fabrica a primeira prótese com microfone direccional.

    É criado o Instituto de Surdos de Beja.

  • 1970

    McCay Vernon e Soon D. Koh, em "Early Manual Communication and Deaf Children's Achievement", concluem que os filhos de pais surdos são significativamente superiores em rendimento académico, leitura, vocabulário e escrita aos surdos filhos de pais ouvintes. Mas, na sua maioria, esses valores são muito inferiores aos valores estabelecidos para os alunos normoouvintes.

    Jewett descreve pela primeira vez o exame no homem dos potenciais evocados auditivos do tronco cerebral (PEATC), método que veio tornar possível a avaliação objectiva da surdez em qualquer idade e que é ainda o melhor método disponível.

    Early Manual Com. and Deaf Children's Achievement
  • 1972

    É eleito o primeiro presidente surdo da Associação Portuguesa de Surdos, Fernando Pinto.

    Em Portugal, são criadas pelo ME as Equipas de Ensino Especial Básico e Secundário.

    Os circuitos integrados permitem o fabrico de próteses com processos de compressão e a redução dos ruídos do ambiente.

    Fernando Pinto
  • 1973

    É criada em Lisboa a APECDA, Associação de Pais para a Educação de Crianças Deficientes Auditivas, que vai introduzir em Portugal o método verbo-tonal, de reabilitação áudio-oral.

    Um grupo interdisciplinar constituído por linguistas, terapeutas da fala, engenheiros do laboratório de Fonética da Universidade de Letras de Lisboa, em colaboração com a Associação de Surdos de Lisboa realizam o 1º estudo sobre a Língua Gestual Portuguesa.

    A Divisão do Ensino Especial da DGEB/ME apresenta o Programa de Compensação Educativa. Estima-se que têm atendimento 80% dos surdos em idade escolar. O normal é que o ensino primário seja cumprido nos estabelecimentos especiais, sob a tutela do MAS, durante oito anos. Depois são maioritariamente encaminhados para oficinas de treino profissional. Há 50 surdos profundos a frequentar o ciclo preparatório (com uma média de idade elevada). O programa propõe-se integrar mil crianças com qualquer grau de deficiência no primário e cem no 2º ciclo num período de seis anos. Para tal propõe-se também especializar um professor por cada 20 alunos (primário) ou por cada dez (ciclo preparatório).

    APECDA
  • 1974

    A renovação pedagógica em Portugal leva as Divisões do Ensino Especial da Direcção Geral do Ensino Básico (DGEB) e da Direcção Geral de Ensino Superior (DGES), com apoio do Programa de Cooperação Luso-Sueco a fomentar a formação de docentes e técnicos, o desenvolvimento tecnológico e a investigação na educação dos surdos.

    A Associação Portuguesa de Surdos promove cursos de alfabetização para jovens e adultos, baseados na Comunicação Total.

    É criada a Delegação do Porto da Associação Portuguesa de Surdos.

    Direcção Geral de Ensino Superior
  • 1975

    Na Suécia, Inger Ahlgren inicia uma experiência envolvendo famílias de pais surdos e ouvintes de crianças surdas de utilização da língua gestual como primeira língua dessas crianças.

    Primeiro aprovada pelo Congresso Americano em 1975 como Education of All Handicapped Children Act (Lei Pública 94-142), a legislação IDEA exigia que todos os alunos com deficiência até 21 anos de idade deviam ser providos com a educação pública adequada num ambiente menos restritivo e com acomodações.

    Inger Ahlgren
  • 1976

    O Ministério da Educação cria as Equipas de Ensino Especial Integrado em Portugal. Estas equipas tinham como objectivo, promover a integração familiar, social e escolar das crianças e jovens com deficiência. Nesta fase não se podia chamar inclusão, porque era só destinada a portadores de deficiência sensorial ou motora que tinham capacidade para acompanhar os currículos escolares normais.

    Ministério da Educação
  • 1977

    Em França, Bernard Mottez chama a atenção para o «direito que os surdos têm de se constituir em minoria linguística»

    Bernard Mottez
  • 1978

    Na Grã-Bretanha, o Warnock Repport chama a atenção para as crianças com necessidades educativas especiais e para a necessidade de as escolas criarem condições para o seu acolhimento no ambiente menos restritivo possível.

    Warnock Repport
  • 1979

    Ursula Bellugi e Edward Klima publicam "The Signs of Language".

    Julia Maestas Moores estuda a comunicação gestual de crianças surdas filhas de pais surdos e encontra as mesmas sequências de desenvolvimento, interacção e de estádios linguísticos que se encontram nas crianças ouvintes.

    Suzanne Borel-Maisonny, ortofonista, promove a primeira experiência pedagógica baseada no bilinguismo, numa classe com duas professoras, uma ouvinte e outra surda, apesar de tal ser, ao tempo, ilegal em França.

    Em Varna, Bulgária, o 8º Congresso da WFD reclama ainda a melhoria dos métodos de ensino, melhores meios para o desenvolvimento das capacidades intelectuais e da expressão oral das crianças privadas da audição. 

    É criada a APECDA-Porto.

    Ursula Bellugi
  • 1980

    Para avaliar a situação da educação oralista cem anos após o Congresso de Milão, reuniu o simpósio internacional Oral Education Today and Tomorrow. O seu presidente, Van Uden, afirma na introdução das actas que a comunicação oral é a verdadeira opção para a pessoa surda.

    Bornstein elabora um sistema bimodal chamado Signed English, para utilizar simultaneamente com a palavra falada. Recupera os gestos da ASL e acrescenta catorze marcadores para indicar o tempo, o plural, etc. e organiza o discurso de acordo com a sintaxe inglesa.

    A Divisão do Ensino Especial da DGEB e o Laboratório de Fonética da FLUL editam Mãos que Falam, de Maria Isabel Prata, primeira obra destinada a divulgar a Língua Gestual em Portugal.

  • 1981

    Criação do SignWriting, um sistema de escrita das línguas gestuais.

    Dois surdos portugueses deslocam-se à Universidade de Gallaudet, visando um melhor aperfeiçoamento da Língua Gestual.

    SignWriting
  • 1982

    Danielle Bouvet, em La Parole de l’Enfant Sourd, propõe uma metodologia de ensino bilingue, em que a LG é considerada como língua materna e a língua dos ouvintes como segunda língua.

    Nos EUA, o acesso a um intérprete foi negado pelo sistema escolar por causa da aluna, Amy Rowley, que era capaz de ler lábios. No primeiro caso sob a égide da lei IDEA, o Supremo Tribunal declarou que a escola não estava obrigada a providenciar um intérprete, porque ela "alcançava a realização educacional, académica e social, sem essa ajuda".

    O Secretariado Nacional de Reabilitação organiza o primeiro curso para intérpretes de LGP, orientado pelos monitores José Bettencourt e João Alberto Ferreira.

    La Parole de l’Enfant Sourd
  • 1983

    Primeira experiência portuguesa de bilinguismo verbal-gestual, promovida por Sérgio Niza, na escola de A-da-Beja.

    O governo sueco reconhece oficialmente a língua gestual como a língua nativa dos surdos suecos.

    Sérgio Niza
  • 1984

    Nos EUA, a FDA aprova o primeiro Implante Coclear para comecialização.

    A Universidade do Wisconsin e a Nicolet Corp. constróem a primeira prótese totalmente digital, transportada no corpo.

    A Equipa do Ensino Especial Integrado da DGES-Aveiro organiza as 1.as Jornadas Científico-Pedagógicas sobre Deficiência Auditiva para reconhecer que «os surdos tendem a ficar prisioneiros dos dados perceptivos, a permanecer numa atitude concreta» e que «porque se não preveniu, há que remediar. E reeducação significa: diagnóstico precoce, aparelhamento adequado, desmutização, informação esclarecida e acompanhamento da família»

    Em Portugal realiza-se um curso para educadores e professores de crianças surdas, onde são levantadas algumas questões sobre a educação de surdos: Bilinguismo, Gestualismo, Comunicação Total, pois os professores manifestavam-se insatisfeitos com os resultados do Oralismo

    Implante Coclear
  • 1985

    Em Portugal experimentou-se o Bilinguismo num Jardim-de-infância.

    O Secretariado para a CEE da Federação Mundial dos Surdos divulga que três quartos dos surdos escolarizados da CE possuem níveis de expressão oral insatisfatórios para a comunicação quotidiana.

  • 1986

    A "Criança Deficiente Auditiva, Situação Educativa em Portugal", estudo do Serviço de Educação da Fundação Calouste Gulbenkian, chama a atenção para a necessidade de diversificar as respostas e metodologias educativas, em face dos resultados então recolhidos.

    Fundação Calouste Gulbenkian
  • 1987

    O Parlamento Europeu apela aos estados membros para que reconheçam as línguas gestuais e para que estam façam parte de educação das crianças surdas. 

    A Nicolet constrói a primeira prótese BTE digital. Só foram fabricados três protótipos.

    Marlee Matlin é a primeira actriz surda a ganhar um óscar pelo seu papel em "Filhos de um Deus menor".

    Parlamento Europeu
  • 1988

    A Gallaudet University foi fechada por manifestantes estudantis que recusaram qualquer outra hipótese que não um líder surdo para a sua instituição. O protesto estudantil “Deaf President Now” conduz I. King Jordan à presidência da Gallaudet University como o primeiro presidente surdo da instituição.

    A Widex produz uma prótese digital com comando remoto manejável para conforto do utilizador e para programar o instrumento.

    Ver video
    Protesto estudantil “Deaf President Now”
  • 1989

    A Lei 9/89, Lei de Bases da Prevenção e da Reabilitação e Integração das Pessoas com Deficiência estabelece que a pessoa surda é uma pessoa com deficiência e, como tal goza do direito à reabilitação.

    A Associação Portuguesa de Surdos com o apoio do programa Helios, cria o 1º curso de Intérpretes de Língua Gestual Portuguesa.

    Lei 9/89
  • 1990

    Nos EUA, a Food and Drugs Administration aprova a realização de implantes cocleares em crianças a partir dos dois anos (posteriormente o limite desceu para os dezoito meses).

    Sob certas circunstâncias, a lei "Americans with Disabilities Act" proíbe a discriminação baseada na deficiência. Para as pessoas surdas garante serviços de interpretação, o acesso a TDD e razoáveis condições de trabalho para surdos e deficientes auditivos.

    A Danavox introduz uma potente prótese no mercado com um sistema de supressão digital do feedback.

    Em Portugal, o Decreto-Lei 35/90 define a obrigatoriedade da escolaridade básica para os alunos com necessidades educativas especiais.

    Americans with Disabilities Act
  • 1991

    O ministério da educação dinamarquês estabelece a possibilidade de todas as crianças surdas poderem estudar a língua gestual nas escolas como primeira língua. Em França, a lei estabelece pela primeira vez como um direito a liberdade de escolha entre uma educação bilingue ou uma educação oral.

    Em Portugal, o Decreto-Lei 319/91 vem instituir o Regime Educativo Especial, definindo uma orientação para todos os deficientes, que conduziu à integração generalizada dos surdos nas escolas regulares da sua área de residência. 

    É fundada, em Lisboa, a FEPEDA, Federação Europeia de Pais das Crianças Deficientes Auditivas.

    Foi fundada, em Lisboa, a Associação de Intérpretes de Língua Gestual Portuguesa - AILGP.

    FEPEDA
  • 1992

    Primeira edição do Gestuário de Língua Gestual Portuguesa, do Secretariado Nacional da Reabilitação, por protocolo com a DGEB, trabalho coordenado por António Vieira Ferreira.

    Seis finalistas portugueses do curso de Intérpretes e seis formadores Surdos vão à Universidade de Bristol receber formação.

    Na Bélgica, o Ministério da Promoção Social nomeia como peritos os primeiros professores surdos e responsabiliza-os pela organização do primeiro curso em língua gestual reconhecido oficialmente com o nível secundário. Na continuidade, foi organizada a formação de professores surdos, com a atribuição de diploma de regentes.

    Gestuário de Língua Gestual Portuguesa
  • 1993

    Nos EUA é aprovado o Individuals with Disabilities Education Act (IDEA). O Departamento da Educação estabelece a Política de Inclusão, que garante a todas as crianças com incapacidade o direito a frequentar as escolas regulares locais. As escolas residenciais para surdos são consideradas meios muito restritivos e muitas fecham por falta de alunos. Mas o número de professores surdos aumenta 16%, com maiores oportunidades no ensino público.

    Intérpretes e Formadores Surdos entram nas escolas. A Língua Gestual Portuguesa começa a ganhar o espaço que lhe é devido.

    No 1º Congresso Nacional de Surdos, reunido em Coimbra é aprovada a Carta Social da Pessoa Surda, onde se reclama que «seja reconhecido à pessoa surda o verdadeiro direito à igualdade, mantendo o direito de ser diferente, ou diferente mas igual».

    Individuals with Disabilities Education Act
  • 1994

    A Conferência Mundial sobre Necessidades Educativas Especiais adopta a Declaração de Salamanca, que afirma a «importância da língua gestual como meio de comunicação entre os surdos (...) deverá ser reconhecida e garantir-se-á que os surdos tenham acesso à educação na língua gestual do seu país».

    Em Portugal, a profissão de intérprete de LGP passa a constar da tabela nacional de profissões do Instituto de Emprego e Formação Profissional (IEFP).

    Instituto de Emprego e Formação Profissional
  • 1995

    Declaração de Consenso da National Institutes of Health (NIH) dos EUA conclui que crianças com IC apresentam progressos graduais e continuados na percepção e na produção do discurso ainda que ocorra uma substancial e inexplicada variabilidade de desempenhos. O acesso a serviços educativos e de reabilitação de qualidade é considerado crítico. 

    Em Viena, o XII Congresso da WFD não ignora que até agora «o objectivo tem sido mudar o surdo para torná-lo ouvinte. Por essa razão os Direitos Humanos não estão a ser respeitados no caso das pessoas surdas. O respeito pelos Direitos Humanos requer que cada ser humanoseja visto como uma possibilidade e não como um problema».

    National Institutes of Health
  • 1996

    A Resolução 48 da ONU acentua a necessidade de prever a utilização da língua gestual na educação, no seio das famílias e das próprias comunidades e garantir a presença de intérpretes como mediadores da comunicação. Na norma 6 chama a atenção para a especificidade da educação das crianças surdas, que pode aconselhar escolas especiais e classes ou unidades especializadas em estabelecimentos regulares.

    A Widex lança no mercado a primeira prótese ITE totalmente digital e a Oticon apresenta uma BTE capaz de separar os sons em sete bandas tonais e que utiliza dois processadores de fala, um para as vogais e outro para as consoantes

    Resolução 48 da ONU
  • 1997

    A Deafness Research Fundation propõe uma campanha nacional nos EUA para conquistar a surdez, implantando o IC precocemente em todas as crianças surdas.

    A Declaração de Nápoles - Carta Europeia dos Direitos dos Pais é proclamada pela FEPEDA que reclama informação completa, apoio de qualidade e participação na tomada de decisões.

    A Língua Gestual Portuguesa foi reconhecida como língua oficial para os Surdos portugueses. A Lei 1/97 introduz na Constituição a incumbência de o estado proteger e valorizar a LGP como expressão cultural e instrumento de acesso à educação e da igualdade de direitos das pessoas surdas. António Barreto, nos jornais, chamou-lhe a constitucionalização do manguito.

    É criado o curso superior de Língua Gestual Portuguesa em Setúbal.

    Deafness Research Fundation
  • 1998

    Em resolução de 17 de Junho, o Parlamento Europeu reconhece as línguas gestuais como direito das pessoas surdas, apela ao seu reconhecimento pelos estados membros e à formação de intérpretes de Língua Gestual através dos programas de emprego.

    Em França, o Congresso da FNSF propõe que a sigla LS passe a significar langue sourde em substituição de langue des signes.

    Em Portugal, o despacho n.º 7520/98 da Secretaria de Estado da Educação e da Inovação reconhece a necessidade de um ambiente escolar bilingue e define as condições para a criação e funcionamento das unidades de apoio à educação de crianças e jovens surdos em estabelecimentos públicos do ensino básico e secundário e da organização da competente resposta educativa.

    Parlamento Europeu
  • 1999

    É criado o curso superior de Língua Gestual Portuguesa no Instituto Politécnico do Porto.

    A Assembleia da República Portuguesa aprova a Lei 89, que define as condições de acesso e exercício da actividade de intérprete de língua gestual.

    Instituto Politécnico do Porto
  • 2002

    O programa “No Child Left Behind”, do governo americano, tem o ambicioso objetivo de acabar com as diferenças de desempenho escolar entre crianças. Com o NCLB, surdos e alunos ouvintes e estudantes com deficiência já não podem ser excluídos de qualquer tipo de avaliação disponíveis para os alunos que frequentam os principais programas académicos.

    Ver video
    No Child Left Behind
  • 2004

    A lei IDEA/IDEA-2004 garante serviços para estudantes com deficiência. Os tópicos abordados incluem avaliação, desenvolvimento IEP (programa de educação individualizado) e reunião de equipe, disciplina e serviços de apoio pedagógico, ajudando a garantir a responsabilização, equidade e excelência em educação para crianças com deficiência.

    IDEA/IDEA-2004
  • 2006

    Quando I. King Jordan sai da presidência da Gallaudet University, há uma inquietação em Gallaudet sobre a sua substituição. Mesmo que ela seja surda, os alunos questionam a capacidade Jane Fernandes para liderar e sua devoção à comunidade Surda.

    Ver video
    Jane Fernandes
  • 2011

    No dia 24 de Julho de 2011 dois cidadãos portugueses surdos receberam o Prémio de Mérito Social Nacional da Federação Mundial de Surdos. Foram eles Armando Baltazar e Helder Duarte que, de entre mais algumas personalidades internacionais, o Presidente da Federação Mundial de Surdos agraciou. As comemorações tiveram lugar em Durban na África do Sul, no âmbito do encerramento da edição XVI do Congresso Mundial da FMS.

    Armando Baltazar e Helder Duarte
Facebook porsinal