porsinal  
ArtigosCategoriasArtigos Científicos
Materiais Bilingues: Uma rea de interveno prioritria
0
Publicado em 2010
Casa Pia Lisboa, Newsletter - Dezembro
Paulo Vaz de Carvalho
Resumo

O CED Jacob Rodrigues Pereira (CEDJRP) tem sido, desde a sua fundação em 1823, “a” escola de referência para o ensino de surdos em Portugal. Foi nesta instituição da Casa Pia de Lisboa (CPL) que se introduziram os principais métodos de ensino de surdos desenvolvidos no nosso país ao longo dos 187 anos da história do ensino de surdos em Portugal. Estes métodos introduzidos e desenvolvidos nesta escola viriam a influenciar todas as outras escolas e institutos de surdos do nosso país.
Tendo essa consciência, o CEDJRP continua na vanguarda do ensino de surdos, em Portugal, assumindo a sua responsabilidade histórica. Presentemente, o grande objectivo deste CED é a implementação efectiva do ensino bilingue de surdos, ou seja, efectuar a difícil tarefa que é a passagem de um modelo bilingue teórico a um modelo bilingue prático e de sucesso. Esta implementação passa por duas grandes áreas de intervenção: a produção de materiais bilingues desde o ensino pré-escolar ao ensino secundário e o ensino da leitura e da escrita como segunda língua dos educandos surdos. Só o desenvolvimento destas duas áreas de intervenção, em articulação com as outras escolas de referência nacionais para o ensino de surdos, poderá viabilizar uma implementação efectiva do ensino bilingue de surdos no nosso país.

A Educação Bilingue em Portugal

A implementação do modelo de educação e ensino bilingue, em Portugal é hoje uma realidade a nível paradigmático, no entanto, a nível da sua aplicação e execução há ainda um longo caminho a percorrer para que este modelo de educação alcance o sucesso tão almejado por todos os agentes que trabalham em prol do sucesso educativo e social dos educandos surdos.

A primeira tentativa de implementação do modelo de educação e ensino bilingue de surdos, em Portugal data de 1985, quando na escola A-da Beja se construiu um projecto coordenado pelo Professor Sérgio Niza em conjunto com o formador de LGP José Bettencourt. Todavia este projecto acabou por não ter consequências a nível nacional.

Durante o final dos anos 80 e início dos anos 90 do século XX várias escolas do Ministério da Educação com alunos surdos tentaram de forma pouco coordenada implementar este modelo de educação de surdos mas com pouco sucesso.

Foi no CEDJRP, em 1993 que a implementação do modelo de educação e ensino bilingue encontrou mais sucesso com repercussões a nível nacional. O sucesso da implementação deste modelo de educação de surdos prende-se com as seguintes razões:

  • Grande experiência acumulada no ensino de surdos;
  • A escola que dispunha da maior população surda a nível nacional;
  • Aplicação do modelo bilingue assente em fortes alicerces científicos;
  • Grande investimento na formação em LGP dos docentes e técnicos ouvintes, assim como dos familiares dos educandos surdos;
  • Criação de equipas de intervenção precoce;
  • Implicação dos docentes surdos na aplicação do modelo bilingue.

Assim, nos primeiros 15 anos (1993-2008) a implementação deste modelo visou principalmente dois grupos-alvo:

  • O Ensino Pré-Escolar
  • 1º Ciclo do Ensino Básico

No final destes 15 anos de aplicação do modelo de educação e ensino bilingue no CEDJRP os resultados obtidos com os educandos surdos eram incomparavelmente superiores a nível comunicativo e cognitivo quando comparados com os resultados alcançados através dos métodos oralistas.

Assim, a principal consequência deste desenvolvimento comunicativo e cognitivo dos educandos surdos reflectiu-se na necessidade que estes jovens passavam a ter em aceder a níveis mais elevados de escolaridade para continuarem o seu desenvolvimento. Todavia, nem o CEDJRP nem as escolas de surdos do Ministério da Educação estavam preparados para responder às necessidades destes educandos. Saliente-se que durante quase dois séculos de história do ensino de surdos no nosso país, as crianças e os jovens surdos raramente conseguiam ultrapassar o 4º ano de escolaridade e por essa razão as escolas de surdos nunca se prepararam para responder a um tão rápido desenvolvimento cognitivo das crianças surdas.

A falta de preparação das escolas de surdos prendia-se e prende-se com os seguintes aspectos:

  • Inexistência de materiais didácticos bilingues desde o ensino Pré-escolar ao Ensino Secundário;
  • Elevados níveis de iliteracia revelados pelos educandos surdos relativamente à língua portuguesa escrita.

Estas duas áreas são consideradas centrais para a educação das crianças e dos jovens surdos pois são as únicas formas destes educandos conseguirem aceder ao currículo nacional escolar.

Desta forma, tendo como enquadramento legal, em primeiro lugar a Lei 1/97, artigo 74º h) que refere que o Estado deve proteger e valorizar a Língua Gestual Portuguesa, enquanto expressão cultural e instrumento de acesso à educação e de igualdade de oportunidades e em segundo lugar o decreto-lei 3/2008 que dita as linhas principais de aplicação do modelo de educação e ensino bilingue de surdos, a direcção do CEDJRP em conjunto com a Unidade de Investigação deste CED e com o Sub-Departamento de LGP, em Setembro de 2008 traçou duas áreas prioritárias de intervenção:

  • Criação de materiais didácticos bilingues desde o ensino Pré-escolar ao Ensino Secundário;
  • Aplicação de um projecto de literacia de português como segunda língua para educandos surdos.

Implementação do Ensino Bilingue no CED Jacob Rodrigues Pereira: Áreas Prioritárias de Intervenção

Como acima foi referido, para uma completa implementação do ensino bilingue de surdos é necessário que as escolas de surdos invistam nestas duas áreas fundamentais no sentido de facilitar o acesso do educando surdo ao currículo nacional escolar.

Assim, as áreas assinaladas têm sido duas dss grandes prioridades definidas pela nova direcção do CEDJRP. Em Julho de 2008 é criado o DVD de Acessibilidade dos surdos aos museus: O Centro Cultural Casapiano em LGP, um trabalho conjunto da Unidade de Investigação do CEDJRP e do Sub-Departamento de LGP e que serviu como um ensaio para os futuros materiais bilingues que viriam a ser criados. Em 2009, é publicado o DVD Reis de Portugal em LGP, com a biografia dos Reis de Portugal em LGP e em língua portuguesa. Em 2010 é publicado em DVD Os Meus Primeiros Gestos, um trabalho de importância extrema já que tem como objectivo fundamental fornecer vocabulário em LGP para as crianças surdas do ensino Pré-escolar e para as famílias que têm filhos surdos proporcionando-lhes um melhor acompanhamento comunicativo e escolar dos seus educandos.

O desenvolvimento de materiais didácticos bilingues, como já foi referido, é fundamental para que as crianças e os jovens surdos possam aceder ao currículo escolar através da sua língua natural, a LGP, desejavelmente sua primeira língua tal como está previsto na lei. É por isso, necessário um grande empenho dos docentes surdos e ouvintes que devem trabalhar em cooperação com o grande objectivo de proporcionar conhecimento às crianças surdas através da construção de materiais didácticos para as várias disciplinas que compõem o currículo nacional desde o ensino Pré-escolar ao ensino secundário.

Por outro lado, o trabalho que tem vindo a ser desenvolvido no CED JRP, nas suas diversas vertentes, assenta num conhecimento prático, de experiência acumulada mas, também, um conhecimento académico fruto do investimento pessoal de docentes e técnicos que ao longo dos anos têm sentido necessidade de melhorar a sua prática profissional. Por essa razão, várias têm sido as Universidades que têm procurado estabelecer protocolos com o CEDJRP reconhecendo, assim, o trabalho que a CPL/CEDJRP tem desenvolvido nesta área do ensino especial a nível nacional.

Por todas as razões enunciadas, a CPL/ CEDJRP tem responsabilidades redobradas neste tipo de ensino pois continua ao fim de quase 200 anos a ser o farol do ensino de surdos em Portugal. É essa a sua missão…

Bibliografia

Ahlgren, Inger, Sign Language as the First Language, In: Bilingualism in Deaf Education, Hamburgo, Ed. Signum, 1994.

Amaral, Maria Augusta, Língua Gestual das Crianças e Jovens Surdos, In: Revista da CPL, nº 8, 1991.

Amaral, Maria Augusta, Coutinho, A., Delgado Martins, M.R., Para uma Gramática da Língua Gestual Portuguesa, Lisboa, Ed. Caminho, 1994.

Amaral, Maria Augusta, O Instituto Jacob Rodrigues Pereira Contribuições para a sua História Recente, In: Para Além do Silêncio, Revista da Associação Portuguesa de Professores e Técnicos de Reabilitação de Crianças e Jovens Surdos, 1996, pp.25-33.

Amaral, Maria Augusta, Língua Gestual e Leitura em Crianças Surdas, Lisboa, Universidade de Lisboa, 2002.

Bellugi, U., Klima, E., The Roots of Language in the Sign Talk of the Deaf, Psychology Today, nº 6, 1972.

Bellugi, U., The Link Between Hand and Brain: Implications from a Visual Language, In: Martin, D., Cognition, Education and Defness, Washington, Ed. Gallaudet University Press, 1987.

Carvalho, Vaz de, Breve História dos Surdos no Mundo e em Portugal, Lisboa, Ed. Surd’universo, 2007.

Chomsky, N., Linguagem, In: Enciclopédia Einaudi, 2. Linguagem-Enunciação, Lisboa, Ed. Imprensa Nacional-Casa da Moeda, 1984.

Delgado-Martins, M.R., Estratégias de Aquisição da Linguagem na Criança Deficiente Auditiva, Lisboa, Revista do Desenvolvimento da Criança, Vol.2, Nºs 1 e 2, pp. 84-87, 1981.

Delgado-Martins, M.R., Situação Educativa Actual, In: Pinho e Melo, Delgado-Martins, M.R., et alii, A Criança Deficiente Auditiva- Situação Educativa em Portugal, Lisboa, Ed. Fundação Calouste Gulbenkian, 1985.

Eriksson, Per, Dövas Historia. daubhaR - daufr - döver - döv. En faktasamling DEL 1. Örebro : SIH Läromedel, 1993.

Faria, Hub e outros, Introdução à Linguística Geral e Portuguesa, Lisboa, Editorial Caminho, 1996.

Fernandes, Eulália., Linguagem e Surdez, Porto Alegre, Ed. Artemed, 2003.

Ferreira, António Vieira e alii, Gestuário, Lisboa, Ed. Secretariado Nacional Para a Reabilitação e Integração Das Pessoas Com Deficiência, 1991, (4ªedição 1999).

Goldfeld, Márcia., A Criança Surda, São Paulo, Plexus Editora, 2002.

Laborit, E., Le Cri de la Mouette, Paris, Ed. Robert Laffont, 1994.

Liddell, S., Johnson, R., Towards Theorical Sound Practices in Deaf Education, In: Bilingual Considerations in the Education of Deaf students, Washington, Ed. Gallaudet University, 1992.

Lourenço, Albertina de Jesus, Breve Resumo Histórico da Educação de Surdos em Portugal, in: Revista A Criança Surda (nº3), Lisboa, Ed. Casa Pia de Lisboa, 1956, pp.76-102.

Niza, Sérgio, A Língua Gestual na Educação dos Surdos, In: Gestuário – Língua Gestual Portuguesa, Lisboa, Ed. Secretariado Nacional de reabilitação, 1991 (4ªedição 1999) Sacks, Oliver, Vendo Vozes, Rio de Janeiro, Ed. Imago, 1990.

Stokoe, William, Sign Language Structure, Maryland, Ed. Linstok Press, 1960.

Vygotsky, Lev, Mind in Society: the Development of Higher Psychological Processes, Cambridge, Ed. Harvard, 1978.

Vygotsky, Lev, Pensamento e Linguagem, São Paulo, Ed. Martins Fontes, 1993.

Comentrios