porsinal  
DestaquesListagemReportagens
Língua Gestual para crianças autistas
por porsinal     
0 comentário(s)
Domingo, 10 de Junho de 2018 às 19:13:11
A Língua Gestual para crianças autistas pode ser uma ferramenta útil para melhorar a comunicação.

 

Pensar em comunicação é pensar em partilhar, dividir, compartilhar, trocar informações. A comunicação é a base para as interações sociais e emocionais entre as pessoas. A capacidade de comunicar é complexa, envolve o desenvolvimento de habilidades e principalmente, a capacidade em usá-las de maneira adequada no contexto social.

A comunicação das crianças autistas tem várias particularidades e não segue o mesmo percurso de desenvolvimento observado em crianças típicas. Crianças autistas apresentam dificuldades que variam desde problemas na recepção da informação (linguagem receptiva), dificuldades de expressão ou até mesmo no uso social e funcional do que já adquiriu de linguagem. Um dos sintomas mais comuns dentre as características da linguagem no autismo é a presença da ecolalia (chamado de efeito eco).

Com o objectivo de ensinar as crianças autistas a usar a linguagem para se comunicar ao invés de simplesmente formar sons e palavras em repetição, é essencial orientar a criança adequadamente usando um sistema de comunicação aumentativa. Existem várias opções.

Muitas famílias e profissionais usam Língua Gestual com crianças autistas, para dar à criança uma maneira de se comunicar. A criança aprende um repertório de gestos simples e adaptados para pedir, sentir os objetos (tato), sempre utilizando o gesto e forma verbal.

Como a Língua Gestual pode ajudar crianças autistas?

Crianças autistas têm dificuldade em conectar palavras faladas com objetos. Por que ? É que se chama de “língua arbitrária”. Uma língua arbitrária é uma linguagem que não possui qualquer conexão visual ou auditiva entre o significado de uma palavra e seu som e forma. Por exemplo a palavra gato: de onde vem a representação visual ou auditiva de um gato? Se queríamos representar um gato corretamente, ele poderia ser chamado de “Miau”, que seria uma representação que conecta o som que um gato faz e o seu nome.

Por outro lado, a Língua Gestual tem ajudado muitas crianças que são comunicadores não-verbais. Cada palavra tem uma representação visual que mantém uma conexão natural entre a palavra e o significado.

Língua Gestual com crianças autistas

O uso de Língua Gestual pode ajudar a desenvolver habilidades de comunicação aberta. Pode fornecer uma maneira para a comunicação das necessidades, que não seja a chorar ou a fazer birras, assim, pouco a pouco, eliminando comportamentos stressantes e promovendo uma comunicação mais eficaz.

Porque a Língua Gestual para crianças autistas tem bons resultados?

A Língua Gestual é bem sucedida por causa da repetição dos sinais no mesmo lugar visual, permitindo que a criança processe e compreenda o gesto e o seu significado — ao mesmo tempo da palavra falada — à memória de longo prazo.

É ensinada a Língua Gestual a algumas crianças com autismo como uma forma primária de se comunicar. Muitas crianças com autismo nunca desenvolvem plenamente a capacidade de se comunicar eficazmente através de palavras.

A Língua Gestual é para todos?

Enquanto algumas crianças podem beneficiar, outras não. Isso é puramente baseado no fato de que todos são diferentes, e aprendemos de diferentes formas.

Algumas pessoas são aprendizes auditivos, enquanto outras são visuais, físicas ou de leitura e escrita.

É importante entender que nem todas as crianças autistas são visuais. Existem muitas ferramentas de comunicação que podem ser usadas para ajudar as crianças a se comunicar, como aplicações (Apps), programas de computador e até mesmo música.

Referências

Helping Individuals with Autism Communicate Using Sign Language, Autism Daily News Cast
Sign Language for Children with Autism, Shield Health Care

Fonte: Autism Daily News Cast, Shield Health Care

Vídeo

Não existe video associado.

Comentários

Para comentar esta reportagem tem de ser um utilizador registado

    Não existem comentários.

× Outras Reportagens

Quinta-feira, 29 de Novembro de 2018 às 11:54:11
Charles Michel de l'Epée, o pai da educação pública para surdos