porsinal  
DestaquesListagemReportagens
Libertando o potencial das crianças Surdas no Vietnam
por porsinal     
0 comentário(s)
Sexta-feira, 17 de Abril de 2015 às 02:18:49
Um projeto, que é financiado pelo Japan Social Development Fund, administrado pelo Banco Mundial e implementado pela World Concern, ajudou cerca de 150 crianças surdas vietnamitas a usar a língua gestual e a ficarem melhor preparadas para a escola e para a vida.

Em 1886, Nguyen Van Truong (também conhecido como Jacques Cam), um jovem surdo, voltou para o que é agora a cidade de Ho Chi Minh, depois de passar seis anos na Rodez School for the Deaf em França. Ele assumiu uma posição de tutoria na Lai Thieu School for the Deaf, a primeira deste género no Vietnam, onde ensinou a língua gestual para crianças surdas.

Em 2014, as crianças surdas do Centro para Apoio e Desenvolvimento de Educação Inclusiva para Pessoas com Deficiência da cidade de Ho Chi Minh (CSDIEPD) não estão apenas a aprender a língua gestual. Estão a ser ensinadas a entender o mundo à sua volta e como se expressar de forma a que possam ser compreendidos.

O centro, juntamente com outros cinco centros em Ho Chi Minh, Thai Nguyen, Quang Binh, e Hanoi, está a testar um método inovador para melhorar o desenvolvimento precoce de crianças surdas. A "equipa de apoio familiar", composta por um mentor surdo, um intérprete de língua gestual e um professor ouvinte, trabalha com as crianças em suas casas, com as suas famílias. "Este modelo oferece uma nova maneira de ajudar as crianças", disse Nguyen Thanh Tam, diretor do CSPIEPD de Ho Chi Minh. "Nós forneciamos suporte no centro, mas as nossas instalações são limitadas. Agora, nós ajudamos 150 crianças no centro e mais 170 crianças em suas casas".

Linh Nguyen, de quatro anos, gosta que os professores vão a casa dela. "Os professores vêm a minha casa para me ensinar a gestuar. Hoje eu aprendi sobre frutas e cores. Eles também ensinam o meu irmão Tu, o meu avô, o meu pai, e todos na minha família". Ambos Linh e Tu nasceram surdos.

Apoiado pelo Projeto Intergeracional de Educação de Surdos Outreach (IDEO), que é financiado pelo Japan Social Development Fund, administrado pelo Banco Mundial e implementado pela World Concern, o modelo possui três características principais:

  • Usar a língua gestual como o principal modo de comunicação, permitindo às crianças surdas uma ligação com as suas famílias e com o mundo exterior.
  • Ter mentores surdos como modelos, conselheiros e professores de língua gestual, porque eles entendem "de dentro" as realidades de crescer surdo.
  • Envolver a família na aprendizagem e desenvolvimento da criança.

O modelo reúne surdos adultos, crianças e as suas famílias, e, através de uma abordagem de "aprendizagem centrada na família", abre a comunicação para ajudar as crianças a realizar o seu pleno potencial.

"Dois meses depois de entrar para o programa, a minha filha pode agora comunicar muito comigo. Ela sabe muitas palavras e diz-me os nomes das diferentes frutas quando saímos. Ela também já sabe contar", disse Dinh Vo Kim Ly, mãe de Ho Vo Tuong Vi, uma menina de quatro anos de idade com perda auditiva.

Língua Gestual: Uma ferramenta para a educação inclusiva

Aprender uma língua é muito importante no desenvolvimento de uma criança e, na preparação para a escola primária. O Vietnam Household Living Standards Survey de 2006, uma pesquisa que incluía uma seção especial sobre deficiência, constatou que 18 em cada 10.000 crianças achou "muito difícil" ou "impossível" ouvir. Baseado nesta estimativa, cerca de 15.500 crianças vietnamitas com idade entre 0 e 5 anos estão nessa categoria. A maioria dessas crianças não têm acesso à educação infantil, enquanto os pais carecem de apoio profissional.

O governo do Vietnam aceitou a língua gestual como uma ferramenta para a educação inclusiva, mas os especialistas da nação - os adultos surdos, que possuem a empatia única e a capacidade de usar a língua gestual para uma ampla gama de efeitos - não teem sido sistematicamente mobilizados, treinados e contratados para a educação infantil. O projeto está a ajudar a mudar esta realidade treinando mentores surdos, intérpretes de língua gestual e professores, para garantir que as crianças surdas em idade pré-escolar obtenham uma educação de qualidade.

Hoang Kim Phuc, um professor de língua gestual na Hy Vong School for Children with Disabilities disse: "Eu sou uma pessoa com deficiência auditiva. Quando eu era jovem, eu só podia aprender a língua falada por isso avancei muito lentamente. Agora, com a combinação de ambas as línguas, língual gestual e língua falada, as crianças surdas podem aprender rapidamente e entender o que está a acontecer ao seu redor".

Nem todas as crianças vietnamitas surdas vão actualmente à escola. A educação pré-escolar vai ajudar a levá-los a integrarem-se mais rapidamente e melhor na sociedade e terem melhores perspectivas de entrar na faculdade no futuro. Uma avaliação recente observou que, mesmo depois de apenas três meses de participação no projeto IDEO, o feedback tem sido muito positivo. Os pais em particular relatam uma aprendizagem forte e um melhor comportamento nos seus filhos.

A jovem Linh resume tudo isto muito bem: "Agora podemos todos falar a mesma língua".

 

Fonte: The World Bank

Vídeo

Comentários

Para comentar esta reportagem tem de ser um utilizador registado

    Não existem comentários.

× Outras Reportagens

Quinta-feira, 29 de Novembro de 2018 às 11:54:11
Charles Michel de l'Epée, o pai da educação pública para surdos