porsinal  
DestaquesListagemReportagens
Música para Surdos
por porsinal     
0 comentário(s)
Segunda-feira, 22 de Abril de 2013 às 19:52:06
Kazen-Maddox, 24 anos, não é surdo. Mas durante os primeiros quatro anos da sua vida ele viveu com os seus avós, que são surdos, e manteve-se perto deles. Gestuar tornou-se uma parte da sua identidade.

A Língua Americana de Sinais (ASL) foi a primeira língua de Brandon Kazen-Maddox. A primeira palavra que ele aprendeu a gestuar foi "Lua".

Com as suas capacidades, auditivas e gestuais, ele era um elo de ligação entre o mundo ouvinte e os seus avós - uma tarefa que pode provocar ressentimento em alguns filhos de adultos surdos. Para Kazen-Maddox, a responsabilidade trouxe orgulho.

"Sempre foi muito, muito divertido", disse ele, "ser uma criança e ter adultos muito mais velhos do que eu, a pedirem-me informações."

A partir dos 4 anos de idade, a paixão pela ginástica transformou-se numa outra forma de linguagem. E há 3 anos e meio, Kazen-Maddox mudou-se para San Francisco para se juntar ao circo.

Durante nove meses, ele trabalhou com o Teatro Zinzani e agora é um acrobata e dançarino no Vau de Vire Society e ator no Circus Velocity.

Ambos os trabalhos ajudam-no a pagar a renda, mas Kazen-Maddox tem uma idéia que ele espera levá-lo a novos voos. Ele está a incorporar a língua gestual na sua arte, chamando-a de American Sign Language Acrobatic Dance - ou ASLAD. "Os surdos adoram acrónimos", diz ele com um sorriso.

"É basicamente pegar nas dinâmicas musicais de uma canção - crescendos, decrescendos, tempos e sons graves - e traduzi-las", disse ele. "Como ouvinte ou 'experimentador' da canção, não tens que ouvir a música, mas podes senti-la através da coreografia."

Ele também gestua as letras das canções, como ele fez uma vez com os seus avós na igreja. Gestuar as letras não é nada de novo, ele admitiu, mas ele nunca ouviu falar de alguém capaz de gestuar durante um duplo mortal à retaguarda.

É um conjunto de habilidades que são exclusivas dele e - com sorte - será o seu passaporte para o estrelato. Ele está a testar os seus conceitos numa série de vídeos do YouTube que incluem interpretações de "Black or White" de Michael Jackson e "Misery" dos Maroon 5.

Recentemente, ele foi convidado para se apresentar no Cesar Chavez Elementary School, que tem um programa para estudantes surdos e com dificuldades de audição. Quando ele fez a performance da canção de 1990 de Frankie J, "More Than Words", ele calmamente gestuou os versos no início, mas acelerou à medida que a música desenvolvia, chicoteando o seu corpo num conjunto de "back flips" por um corredor entre dezenas de estudantes boquiabertos.

"Para os surdos e deficientes auditivos, incunte esperança e um sentimento de orgulho ver outras pessoas que podem fazer isso com ASL", disse Marie Esquivel, a professora da escola que convidou Kazen-Maddox depois de um encontro casual num café próximo. "É sobre a inclusão.", acrescenta.

Kazen-Maddox foi cercado por muitos dos estudantes, um dos quais dançava para ele, e espera ser convidado para voltar em breve.

"Eu só quero fazer com que, pessoas surdas e ouvintes, ou qualquer pessoa com qualquer tipo de deficiência, possa sentir a música", disse ele, "e não lembrar-se da sua deficiência, porque a música é uma linguagem que qualquer ser humano pode entender."

Vídeo

Comentários

Para comentar esta reportagem tem de ser um utilizador registado

    Não existem comentários.

× Outras Reportagens

Quinta-feira, 29 de Novembro de 2018 às 11:54:11
Charles Michel de l'Epée, o pai da educação pública para surdos