O JavaScript está desabilitado no seu browser !
Por favor habilite o JavaScript ou actualize-se com um browser capaz de o usar.
O Javascript precisa de estar activado para ver o site correctamente.
porsinal  
Notícias
Sexta-feira, 28 de Abril de 2017 às 17:15:41
por porsinal   
0 comentário(s)
Professor cria dicionário de Educação Física em Libras
O professor de Educação Física, Keegan Bezerra Ponce, criou um dicionário de Educação Física em Libras visando auxiliar e ensinar os alunos surdos
Reportagens
Quarta-feira, 15 de Março de 2017 às 18:47:05
por porsinal   
0 comentário(s)
Pais surdos comunicam com filhos por meio da música
Sentimentos e vibrações de ondas sonoras misturam-se numa forma de comunicação que une alunos surdos aos seus pais e filhos.
Entrevistas
Quinta-feira, 09 de Março de 2017 às 18:00:45
por porsinal   
0 comentário(s)
Viva a família surda!
A mãe da Fiorella é psicóloga e professora da Universidade Federal de Pelotas Francielle Cantarelli. Ela conta que, assim como a menina, ela e o marido Fabiano também nasceram surdos. Na época, entretanto, o conhecimento sobre o tema era restrito, e ambos tiveram contato com a língua gestual muito tarde: ela com 12 anos e ele com 7 anos de idade.
Especialistas

Filmes em Destaque
  • Palabras de Caramelo

    Juan Antonio Moreno Amador
  • Hush: A Morte Ouve

    Mike Flanagan
  • Dawn of the Deaf

    Rob Savage
  • Livros em Destaque
    Artigos de Opniião
  • por Amílcar José Morais
    Sexta-feira, 19 de Agosto de 2016
    “Cultura” – Comunidade Surda: Etnicidade ou Variável?
    Gostaria de refletir e abrir um espaço para discussão sobre o seguinte: O conceito de etnicidade integra-se na cultura da Comunidade Surda ou não?
  • Compre aqui na plataforma porsinal o novo livro de Isabel Correia !
    Próximo Congresso

    De 04/05/2017 a 05/05/2017
    IX Jornadas das Língua Portuguesa: Língua e Literacia(s) no Século XXI

    Dada a relevância deste tema, pretende-se, com as 9.as Jornadas da Língua Portuguesa, apresentar, discutir e divulgar o conhecimento que se vem produzindo na área temática da língua portuguesa e do desenvolvimento da(s) literacia(s) ou em áreas que com estas se relacionam. Parece ser importante uma reflexão em torno dos contributos que a sociedade, de uma forma geral, e a academia, de forma particular, podem dar para que a futura geração venha a ser constituída não apenas por indivíduos letrados e formados academicamente, mas também por indivíduos solucionadores (Weil, 2014) dos inúmeros problemas com que as sociedades atuais se deparam. Para tal, é necessário que a leitura, a escrita, o trabalho colaborativo, a criatividade, o pensamento crítico, a (re)solução de problemas, a utilização das tecnologias de informação e comunicação, a pesquisa, a produção e comunicação de trabalhos científicos seja uma prática regular nas diferentes instituições de ensino, em contexto de sala de aula, no trabalho dos professores e no dos estudantes.

    Neste sentido, estas 9as Jornadas da Língua Portuguesa, organizadas pela rede do Camões, Instituto da Cooperação e da Língua em Moçambique, em parceria com a Universidade Eduardo Mondlane e a Universidade Pedagógica, pretendem abrir um espaço de partilha e de divulgação de trabalhos de investigação, produzidos na área do ensino e da aprendizagem da língua portuguesa e do desenvolvimento da(s) literacia(s).

    Este encontro académico tem como objetivo geral desenvolver uma cultura de investigação em torno do ensino e da aprendizagem da língua portuguesa que desenvolva competências de literacia dos estudantes. Constituem objetivos específicos destas Jornadas: (i) promover a investigação sobre as áreas do ensino da língua e das literaturas em língua portuguesa; (ii) divulgar boas práticas de ensino da língua, da linguística e da literatura, com resultados concretos no desenvolvimento das competências de literacia dos estudantes; e (iii) apresentar trabalhos sobre a utilização das tecnologias aplicadas ao desenvolvimento das literacias em língua portuguesa. Assim, e de forma a acedermos aos percursos de construção de conhecimento, desenvolvidos ou em curso, nas áreas assinaladas, desafiam-se os professores, investigadores, gestores educacionais, especialistas e formadores que estudam a língua portuguesa ou que com ela trabalham a contribuírem para esta partilha.